domingo, 29 de junho de 2008

Vestida Para Casar


Continuo a interrogar-me porque valerá a pena, filme após filme, insistir nessa missão hedionda de não ser preconceituoso. Não ser preconceituoso, essa virtude tão bem vista nos dias de hoje, pode levar-nos, por exemplo, a não colocar de parte algo que já sabemos ser uma desastre. Não uma desilusão, que pressuporia que o individuo em causa sofresse de qualquer tipo de expectativa. Não ser profundamente preconceituoso, se nos levar a ver um filme como Vestida Para Casar, é dos piores defeitos que o homem moderno pode ter. Já houve tempos em que o cinema light americano, dentro do estilo do romance-happy-ending, era algo de agradável. Nada parece restar desse tempo.
Vestida Para Casar é algo sensaborão, triste e cinzento que não consegue sequer ter a chama do entretenimento puro para se encontrar. É uma mera amálgama de frases feitas sobre o amor, as relações e o casamento, como há muito não se via. Jane é uma mulher só cujo grande interesse é tornar os casamentos dos outros inesquecíveis, ignorando a sua vida pessoal, até ao dia em que Kevin entra na sua vida e... Não é preciso ter grande imaginação para preencher o resto da história.
No papel de Jane está Katherine Heigl, a Izzie de Grey's Anatomy, sobre cujos ombros parece recair toda a estratégia de Marketing do filme - a qual parece passar, inclusivé, por tornar a personagem do filme um clone da personagem da série. Pergunto-me o que pode levar alguém a fazer este filme. Não há uma ideia, algo a dizer. Também não há uma noção de entretenimento nem se consegue, em momento algum, ser inovador ou refrescante na maneira de abordar o assunto. Resta então que tudo isto seja um aproveitamento da imagem de Heigl (e de Burns) para mais uma receita tipica de silly-season. A seguir, pergunto-me o que leva alguém a ver este filme. Para essa, contudo, não pareço conseguir arranjar resposta.
Título: Vestida Para Casar
Realizador: Anne Fletcher
Elenco: Katherine Heigl, James Marsden, Malin Akerman, Judy Greer e Edward Burns
E.U.A., 2008
Nota: 2/10

5 comentários:

Anónimo disse...

Katherine Heigl, não deixa de ser uma boa actriz.

Hitchhiker disse...

Baseado na sua participação em quê?

Anónimo disse...

Na anatomia de Grey, principalmente.
Escolhe é mal os filmes em que participa.
É mal aproveitada.

Hitchhiker disse...

Obviamente. A culpa é do sistema.
No fundo é um bocado indiferente o que ela faz porque quer em 27 dresses, quer em knocked up, quer no ABC da sedução, quer em toda a série de anatomia de grey, ela é sempre igual. O reportório pode ser limitativo, mas a intérprete também é limitada.

Anónimo disse...

se reparar, todas as personagens que interpretou exigem o mesmo. Não podia fazer muito mais do que fez.